Pesquisar este blog

terça-feira, 21 de setembro de 2010

"Martelo Bigorna"

Muito do que eu faço
Não penso, me lanço sem compromisso.
Vou no meu compasso
Danço, não canso a ninguém cobiço.
Tudo o que eu te peço
É por tudo que fiz e sei que mereço
Posso, e te confesso.
Você não sabe da missa um terço

Tanto choro e pranto
A vida dando na cara
Não ofereço a face nem sorriso amarelo
Dentro do meu peito uma vontade bigorna
Um desejo martelo

Tanto desencanto
A vida não te perdoa
Tendo tudo contra e nada me transtorna
Dentro do meu peito um desejo martelo
Uma vontade bigorna

Vou certo
De estar no caminho
Desperto.

[Lenine]


É sabido por vocês que não tenho o hábito de colocar letras de músicas, sequer poesias dos "maiorais das palavras" por aqui...pois respeito aos que vêm aqui para ler as minhas limitadas palavras, mesmo que eu me renda em meu cotidiano aos ditos 'tais'. Contudo, há momentos em que temos que nos entregar à necessidade, ora e meia, de citar uma ou outra...

E acho esta música do homem mto feliz em suas palavras e forças de expressão, pois, justamente, expressam a vontade, o desejo, o valor e o respeito.

Tem horas q eu preciso ouvir de alguém distante, como ele, palavras como essas...
Não que eu não dê valor aos que estão próximos, mas a interferência de alguém que não tem qualquer envolvimento, por vezes, é primordial...

Sim, claro q eu acredito q palavras não escritas, diretamente, pra mim possam vir a servir com perfeição, ora bolas.....todos fazemos parte de um todo...e talz e blá...já falei mto disso.

Em tempo: Quando no V de pássaros o líder se cansa, ele vai para o fim e dá o lugar a outro, para que possam continuar....firmes e fortes...pois um líder em plena forma assume a frente e puxa o V...os demais, vão em seu vácuo...precisando de menos força.

3 comentários:

Gisele Boltman disse...

Ser "fã" do Lenine e citá-lo é como ser "fã" do Pelé e fazer um gol, faz parte da admiração.

Às vezes ouvimos mil vezes as mesmas palavras, mas num belo dia aquelas palavras entram em nosso canal auditivo, fazem uma curva sinuosa e de repente tomam um rumo diferente em nosso cérebro e PRONTO! As palavras de sempre, nos caem como uma luva em dia de frio, agora.


Amo você ♥

Valéria Sorohan disse...

E é uma linda música, que vale apena o post.


BeijooO*

*lua* disse...

Olá Maurício, agradeço teu carinho de sempre, tão necessário!

"Tanto desencanto
A vida não te perdoa
Tendo tudo contra e nada me transtorna"

Esse trecho é de uma sabedoria grandiosa, a temperança, serenidade.

Quanto ao que escreves, tem tanto valor quanto qualquer figura tarimbada literária. Nós somos um emaranhado de energia que atravessamos a mesma estrada, passamos por sensações muito parecidas e vamos descobrindo segredos, os mesmos segredos, mas em tempos diferentes ... apenas ... Beijo.