Pesquisar este blog

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Esfinge-me

Claro que o contratempo se refaz, desfaz e corrompe. Impede, mas também alivia. Cria um ciclo vicioso em torno da desculpa imoral, capaz de fazer relevar qualquer que seja seu motivo.
Impeço-te de vir, mas o contratempo te trará.
Recomeço sem olhar qualquer caminho obscuro diferente do que me cabe.
Crio-me através do recomeço que impeço.
Aliás, quem dirá que amanhã não virá, se cá estou eu a me declarar diante de tão poucos presentes?
Ruo-me, avenido-me, embeco-me para descobrir quem diabos sou, mas não paro de caminhar, pois...caminhando, qndo não, se chega lá.
Everedo-me por qualquer árvore alta, que venha a se despejar sobre mim, desde que ela se permita a ter-me por suas veias em energia, quando passar em torno.
Eis-me, então, paralisado e perdido diante de uma breve contradição:
"Disse tanto e o que, diabos, eu disse?"

Em tempo: "Responda-me ou te devoro" (mitologia, metáfora e, por aí...)

Em tempo2: Odeio passar tanto tempo sem vir, doar-me. Tenho tão pouco a oferecer e ainda guardo?! Mesquinho-me!

6 comentários:

Gisele Boltman disse...

Se apenas prover uma enxurrada de palavras sem sentido, não se doará, apenas, se esvaziará do mundo de palavras que vem em sua cabeça.
Sabemos o tempo certo de vir, mas às vezes esquecemos é de compartilhar.

Tão profundo que me afoguei, confesso.
(Oras, preciso ser sincera)

Em tempo: Não seria "Decifra-me ou te devoro?

Mau humor da manhã [off]

Beijos, amado.

Michelle Crístal disse...

Eis que tão pouco eu disse, pois a sua imagem me devora!

*lua* disse...

Maurício, quando dizes contratempo, imagino eu, estar referenciando este cosmos que orbitamos, que nos fundimos. Respeitando a lei do universo de energias, onde você dá a passagem para que seja intuido ao caminho que irá seguir. Mas com a responsabilidade de buscar numa árvore que for, uma resposta ou um entendimento qualquer acima do teu.

Aqui nos devorou com humildade e sabedoria! Abraços

Valéria Sorohan disse...

Texto bom. Boa sorte ao mergulhar em suas perguntas. Cuidado, nem tudo possui uma resposta bem elaborada.

BeijooO'

Nina Lótus disse...

Oi, moço!
Como vc me achou???
Saudade de ti!
Sei bem quem vc é, bobo! E está no hall das pessoas especiais que passaram pela minha vida, dessas que trazem a alma escancarada nos olhos e que eu admiro muito por isso!
Seu texto está lindo, assim como o blog todo!
É uma pena que a gente não tenha se empenhado em se ver mais vezes e fortalecer essa amizade, mas não faz mal. Falamos com o Gustavo e corrigimos isso logo!! Vamos marcar alguma coisa? Estou devendo pra ele também...
Adorei seu comentário no meu blog!
Deixo aqui um beijo grande!!

Cleide Cavalcante disse...

Compartilhar é bom... mas de fato muitas vezes a rotina nos impede.
Olha, francamente, com esse texto vc deve estar devorando geral, pq poucos vão ter sabedoria para te decifrar.
Saudade do senhor =D