Pesquisar este blog

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Do orgulho.

Pois é da certeza de que ninguém mais no mundo está certo de que vive o teu orgulho.
A desgraça em que se joga aquele incapaz de tornar a crer.

O orgulho não te elevará a nada. Tornar-te-á parte inerte desta imensa cordilheira.
Ele te petrifica e te inutiliza.
Te deixa impermeável às novas verdades, passam por você feito água de chuva...por maior que seja a tempestade, vc continua ali, inerte, embebido por fora, quiçá umidificado, mas nunca estará completamente contagiado por qualquer que seja a água/verdade.

Eu te abomino, orgulho...justamente por ser dos teus maiores usuários. Por muitas vezes me arrependi de não ter te ouvido, o que me fez sofrer mais ainda.
Te abomino, pq sequer me lembro de tê-lo visto errar.
Te abomino, pq vc me impede de ser diferente.

O pior, senhor orgulho, é que não tenho vontade de mudar, pois todos sofrem...os orgulhosos ou não.
Todo orgulhoso sabe a consequência de ser assim. E dói muito menos errar por ter acreditado em si, do q errar por ter sido enganado pelas pessoas/circunstâncias.

Me orgulho de ter orgulho, mas não dá pra esconder que dói saber que pode-se estar errado por estar com a visão viciada.

Uma triste situação.

Em tempo: Não importa se é verdade ou não.
É o que eu acredito.

Se for mentira, desculpem minha ignorância e loucura...
Se for verdade, tenham a dignidade de assumir.

Um comentário:

Deyse Miragaia disse...

Bem forte!..Eu , particularmente gosto um pouco mais do meu orgulho do que você do seu ;) ...rs..beijos! Estou orgulhosa pela poesia..