Pesquisar este blog

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Dependência

Decerto que não pode existir tal coisa com este nome que tenha um cunho positivo. Contudo há de se aceitar o prazer que tal substância pode lhe causar no momento em que vc aceita sua dependência.
Uns se entregam à dependência de substâncias químicas nocivas [álcool, nicotina, drogas afins], outros se sentem necessitados de outras pessoas, já outro tipo de pessoas se sentem apegados a algum tipo de atividade.
Estes dois grupos, contudo, também sofrem de uma espécie de dependência química, pois atividades ou sentimentos provocam uma enxurrada de substâncias químicas ordenadas pelo cérebro provocando, então, tal sensação de prazer e satisfação adquirida apenas quando está se recebendo aquela dose.
Mas como toda dependência, há certo aumento de dosagem, mesmo que gradativo, ao longo do período em que o vício discorre. O que aumenta, cada vez mais, a distância entre a cura e o estado atual. Ops... cura? Naahh...Não existe cura para vício. O viciado vai ser sempre viciado...e se ficar 20 anos sem obter tal substância e permanecer assim, abstinto, até morrer, é só porque escolheu assim...mas se ele tivesse obtido uma única dose, voltaria ao estado anterior de dependência.

Somos viciados em pessoas, pois sentimos saudades e movemos muitas peças em nossos tabuleiros para conseguirmos vê-las. As que não o fazem, é porque você não dá a mesma sensação de prazer a ela cuja ela dá à você, sinto informar. Seja forte, você supera. =]

Somos viciados em drogas...analgésicos, chocolate, coca-cola...

Somos viciados em atividades...ao ficar um mês sem fazer certas coisas, observe seu comportamento. Experimente ficar sem sexo...e veja se não transcorre um mau humor terrível entre você e seu parceiro[a]. Caso não, ambos estão tendo um caso.

Sim, eu também sou viciado.
Tenho vícios em pessoas...várias até...de vários tipos e formas, tamanhos e cores...variando até a opção sexual...
Tenho vícios em atividades...internet é uma delas...as outras eu nego até morrer!
Tenho vícios em remédios...mas hj eu sou um hipocondríaco tratado. Contudo, ainda me recordo de cada bula que eu li...=]

O amor vicia.
O sexo também.
Drogas, bem menos.
Internet? Bem mais.
Jogos, sexuais ou não.
Eletrônicos ou não.
Música vicia.
TV, também.
Conversar, bem mais.

Escrever vicia...
e você também.


 

Em tempo: So closed, but so happy.

PS: Don't ask me!

4 comentários:

Ruivah disse...

Mau, cada vez mais inspirado!
Ah eu só queria um pouquinho dessa sua maravilhosa forma de escrever e dizer o que sente ou vê como você faz!

Adoro-te!
Saudadessss

Grazi disse...

acho que meu vício sempre será as nozes e o álcool rsrs.

Hugo de Oliveira disse...

A vida torna-se um vício, completando-se com todos os vícios que ao longo da nossa caminhada vão surgindo!

Como costumo dize, SOU UM VÍCIO!
ahahahahahah x)

Gisele Boltman disse...

Eis o post que demorei tanto pra comentar, não deveria, mas, vai entender por onde nossos pensamentos escorrem ás vezes?
Desde que não transbordem, fica tudo bem...

Tenho tantos vícios...
e...
It's all your fault! rs...

Mas o principal é que não sofro com nenhuma abstinencia, talvez uma perna balançando aqui, uma resposta atravessada acolá, mas nada que me faça ser escrava de algo que me fez bem, afinal, é pra se sentir bem, e não mal que a gente se vicia... Vício consciente pelo menos.
E ainda tem aquele vício cujo a gente se conscientiza, tipo esse aí que temos em comum, reciprocamente. ;)