Pesquisar este blog

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Escrever

Na dúvida é que se aprende.
Na paz que se entende.
Na guerra que se corrige.
Nem tudo que se escreve é da melhor qualidade.
Nem todos os grandes autores do mundo viveram epifanias do primeiro ao último texto.
Nem sem querer eles não cometeram erros.
Nem querendo eles davam sempre o melhor.
Nem que a vaca tussa eles escreviam tudo que viam.
Nem se escrevessem tudo sairia ótimo.
Nem de graça os textos agradam à todos.
Nem pagando todos que escrevem ficam ricos.
Nem que eu queira minha mente me faria escrever o dia inteiro.
Nem apaixonado escreve sempre que quer.
Nem sempre se pode escrever.
Nenhum livro foi escrito sem erros.
Ninguém é perfeito.
No presente...
Nunca é muito tempo.

Em tempo: Tem dias que eu não canso de escrever. E em dias como este que eu escrevo meus piores escritos [Vide capítulo XVII - qndo estiver disponível...=].
Terei de ponderar sobre isto.

2 comentários:

Gisele Boltman disse...

"Nem que a vaca tussa eles escreviam tudo que viam."

Ri alto!

Eu tenho tido uma dificuldade medonha de escrever...
Estou me achando muito redundante, clichê, blasé, demodê!
Você vê?
rs...

Desce duas doses de I-doser aqui, please!

Mas às vezes é melhor ter algo para talvez ser descartado e ter muito aprobeitado do que não ter nada escrito.
;)

Obs: Comentei nos dois posts anteriores também.

Damn disse...

Adorei esse seu post...

"Nem que a vaca tussa eles escreviam tudo que viam."

Ri alto! [2]

Gosto do nome do seu blog.

=D